quarta-feira, 17 de agosto de 2011

"O programa 'Amor & Sexo' não aborda o tema com naturalidade", diz Penélope Nova

video

Você participaria de um programa sobre relacionamento na TV? Qual a sua opinião sobre eles? Para responder a estas perguntas, o crítico Mauricio Stycer recebeu no "UOL Vê TV" Penélope Nova e Ana Canosa, duas das mais conhecidas apresentadoras de atrações do gênero na televisão brasileira.

Âncora do "S.O.S. Casamento", no SBT, programa que ajuda casais em crise a se reconciliarem, a psicóloga e sexóloga Ana Canosa admitiu que dificilmente aceitaria participar de um reality com este formato, mas que entende quem o faz."A pessoa precisa de ajuda, não importa qual e nem como", disse.

Quanto o fato de o reality expor para milhões de pessoas problemas particulares graves, algumas vezes com crianças envolvidas diretamente na trama, Ana Canosa questionou:"O que é pior para um menor, aparecer em rede nacional ou conviver diariamente em um ambiente conturbado e violento?"

Para Penélope Nova, que ficou famosa ao comandar o "Ponto Pê", na MTV, entre 2006 e 2007, no qual tirava dúvidas sobre sexo e relacionamento, o segredo para abordar temas sensíveis é a naturalidade:"Se as pessoas confiam em você, contam seus problemas sem se importar com a reação alheia",diz.A apresentadora, aliás, criticou o programa "Amor & Sexo", da Rede Globo, por falta de espontaneidade."Amo a Fernanda Lima, mas aquilo é muito amarrado.Os convidados parecem constrangidos", falou Penélope.

Já em relação à eficácia dos programas, ambas concordaram que alguns casos podem ser resolvidos ali no ar e outros, não."Já aconselhei muitos dos meus telespectadores a procurarem especialistas, pois eu não saberia responder àquela questão", disse Penélope.

Igor Cotrim, ator e ex-participante da "Fazenda", fez uma participação especial pelo telefone, para falar da nova edição do reality show, que estreou nesta terça: "Já tive pesadelo com o programa.Sonhei que estava de volta ao cercado, participando de uma prova.Foi horrível.Não tenho saudades do programa, mas entendo que foi importante para divulgar meus trabalhos", finalizou Cotrim.